LAGO DO ALQUEVA, UM ROTEIRO NAS ALDEIAS RIBEIRINHAS

A rota dos castelos, o maior lago artifical da Europa e um dos céus nocturnos mais impressionantes do mundo

PUBLICADO A 17 DE JUNHO DE 2020 | VIAGEM DE 10 A 13 DE JUNHO DE 2020

2020 será sempre um ano atípico no que a viagens diz respeito… Nunca nos sentimos tão presos como agora, principalmente os irrequietos que gostam tanto de viagens como eu e viram os seus planos completamente trocados. Por um lado, é caso para dizer que há males que vêm por bem e o facto de muitas fronteiras estarem fechadas devido ao novo coronavírus, obrigou-nos a olhar mais para dentro, para o nosso país e para todas as coisas boas que temos ao nosso dispôr. Foi assim que surgiu esta ideia de fazer um roteiro pelo Lago do Alqueva.

Esta é uma zona do país que conheço muito bem! A culpa é da faculdade que me “forçou” a estudar a história desta região quando estava a desenvolver a minha tese de mestrado em arquitectura. Foram muitas as povoações que conheci, outras nem tanto, e então achei que era a altura ideal para matar as saudades do Alqueva.

Assim sendo, decidi montar um roteiro de quatro dias para revisitar alguns lugares e conhecer outros pela primeira vez. O tempo que demorei a visitar a região é sempre flexível atendendo à preferência e disponibilidade de cada um, de maneira que podia ter acrescentado mais uns dias como também ter retirado… Sem mais demoras, peguei no carro desde Lisboa e segui em direcção ao Alentejo.

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Um pouco de história…

Dada a grande escassez de água no interior alentejano onde o clima é muito seco, surgiu este projecto com o objectivo de melhorar as condições de vida das populações. Actualmente, a região do Alqueva é conhecida pelo empreendimento que deu origem à sua barragem e consequente subida do nível das águas do rio Guadiana.

A albufeira do Alqueva, com 250 km² de área, abrange os concelhos de Portel, Moura, Reguengos de Monsaraz, Mourão e Alandroal e ainda os municípios espanhóis de Olivença, Cheles, Alconchel e Villanueva. Trata-se da maior barragem da Europa com 96 metros de altura com o maior lago artificial do continente europeu. Este projecto constitui uma reserva de água vital na luta contra a seca, possibilita a produção de energia hidroeléctrica e ainda permite combater a desertificação populacional com novas oportunidades de negócio que foram surgindo ao longo do tempo.

No entanto, com o passar do tempo, esta região tornou-se um destino de eleição no interior do país! A juntar às planícies alentejanas e às aldeias históricas, encontramos novas formas de deslocação entre povoações (de barco), praias fluviais que até então pareciam impossíveis de se concretizar e fins de tarde que se tornaram mais especiais!

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Dia 1| Do Alandroal a Juromenha:

Portugal é uma das civilizações mais antigas do mundo de tal forma que muitas povoações se desenvolvem à volta de construções medievais. Foi nesta condição de visitar alguns dos castelos do Alentejo que tracei o roteiro a começar na zona de Alandroal. A poucos quilómetros temos o impactante castelo de Terena que é imagem marcante na paisagem e se fizermos um desvio em direcção a Espanha, conseguimos visitar a fortaleza de Juromenha. Pelo caminho, parei para almoçar na vila de Redondo que foi uma agradável surpresa e é marcada igualmente por um castelo peculiar…

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Dia 2 | Monsaraz e arredores:

Continuando a rota dos castelos, não podemos falar do Alqueva sem mencionar Monsaraz. Passei aqui o dia inteiro mas o meu objectivo nem era perder muito tempo com esta vila imperdível! Felizmente, é um dos lugares do nosso país que melhor conheço e por isso o que queria era partir à descoberta dos inúmeros monumentos megalíticos que existem nesta zona do Alentejo e ter uma perspectiva diferente do lago através de um passeio de barco.

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Dia 3 | Moura, Aldeia da Luz e Estrela:

A Aldeia da Luz e a Aldeia da Estrela foram as duas povoações que mais sofreram com as consequências da barragem do Alqueva. Depois de as ter descoberto há uns anos por causa da minha tese final de mestrado, decidi voltar para ver se estava tudo no sítio e matar saudades de dois lugares que, na minha humilde opinião, têm muitas potencialidades. Terminei o dia em Moura onde fiquei a pernoitar.

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Dia 4 | Amieira e Portel:

Estas duas povoações eram as que menos conhecia e só não consegui desfrutar melhor de cada uma delas por causa do tempo… Aqui quase que temos o contraponto entre o passado e o futuro. De um lado temos a vila histórica de Portel marcada pelo seu castelo no ponto mais alto. Por outro lado, a Amieira ficou conhecida depois do enchimento da barragem do Alqueva pelo seu porto e uma das praias fluviais mais espectaculares do interior alentejano.

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Curiosidades e sugestões

Dada a situação da pandemia gerada pelo Covid-19, houve certos programas que não consegui fazer… Algo que queria muito era participar numa visita ao Observatório do Lago do Alqueva (OLA) em Monsaraz ou no Observatório Dark Sky na Cumeada. Este último foi mesmo considerado o primeiro lugar do mundo com a certificação da Starligth Foundation que nomeou a zona do Alqueva como um destino de excelência para astroturismo dada a pouca poluição luminosa do céu nocturno. Infelizmente não consegui entrar em nenhuma destes dois observatórios mas com o que tinha ainda tentei fazer os possíveis para captar a noite alentejana…

Lago do Alqueva, um roteiro nas aldeias ribeirinhas_Num Postal

Embora o Alqueva sempre tenha gerado muita controvérsia, pode-se hoje dizer que se tornou um projecto benéfico principalmente do ponto de vista turístico onde se evidencia um património numa paisagem que ficou ainda mais bonita.

Este roteiro é apenas uma sugestão de alguns dos lugares que mais me encantam junto ao grande lago. Para aproveitar melhor o tempo, também tentei fazer este percurso de uma forma circular e escusado será dizer que sem uma viatura própria seria impensável. É sempre bom voltar a esta parte do país capaz de nos surpreender a qualquer altura do ano!

GOSTARAM DESTE ARTIGO? PARTILHEM NAS REDES SOCIAIS

PLANEIA A TUA VIAGEM

Aqui encontras as ferramentas necessárias para ti e ainda podes ajudar-me ao usar estes links 🙂

Para encontrares os melhores voos uso sempre o Skyscanner ou o Momondo.

Reserva já a tua estadia no Hostelworld mas se quiseres mais algum conforto podes ver outras opções no Booking.

Contrata o teu seguro de viagem. Ao optares pela IATI Seguros viajas mais descansado e ainda tens 5% de desconto se usares este link.

Queres viajar e não sabes para onde? Com a Chocolate Box podes arriscar ir num destino que só conheces 48 horas antes do dia da viagem e com o meu código NUMPOSTAL10 tens 10% de desconto!

Autor do projecto Num Postal, arquitecto de profissão, fotógrafo nas horas vagas e apaixonado por viagens. Criei o blog para que não me escape nada das minhas aventuras pelo mundo, para partilhar com os outros e para eu reviver cada uma destas experiências! Depois de viver uma temporada no Brasil, percebi que há todo um universo lá fora para descobrir e desde então nunca mais parei de ir à procura de lugares desconhecidos.

FAZ PARTE DESTE PROJECTO

Deixa um comentário e partilha as tuas dicas

POSTS RELACIONADOS

Estes são alguns dos artigos que também poderás gostar de ler