PORTEL E AMIEIRA, ENTRE O PASSADO E O FUTURO

Mais um castelo em ruínas, uma praia fluvial que veio revolucionar a região e uma marina que pôs uma aldeia no mapa

 

PUBLICADO A 9 DE JULHO DE 2020 | VIAGEM A 13 DE JUNHO DE 2020

No meu último dia à volta da albufeira de Alqueva, reservei uma visita a Portel e a Amieira. São dois lugares bem distintos onde de um lado temos uma das sedes de concelho mais antigas do país e do outro uma aldeia que era completamente desconhecida até ao fecho das comportas da barragem de Alqueva.

Depois de uma noite muito bem passada em Moura, a minha viagem começou cedo e o primeiro ponto onde parei foi na barragem. Estava um dia excelente, muito silencioso e tranquilo e assim estava dado o mote para aproveitar os últimos momentos nesta região do Alentejo.

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

Marina da Amieira

Não foi preciso muito tempo para que chegasse à marina mais conhecida do grande lago. Ainda meio a medo, ia entrando pela estrada num clima de paz incrível! Era eu, a paisagem e alguns barcos que ali estavam… De resto, devido ao impacto da pandemia, não havia ninguém que ali estivesse a prestar algum apoio à marina.

Este espaço é a infra-estrutura náutica mais importante do Alqueva onde saem a maior parte dos barcos que andam na albufeira. Aqui encontramos imensas actividades associadas aos passeios de barco mas também podemos ficar apenas a apreciar de uma refeição enquanto desfrutamos das vista maravilhosa para uma paisagem que continua a ser difícil de descrever.

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

Amieira, a aldeia

Esta pequena povoação é mais uma aldeia típica alentejana numa região em que pouco ou nada interessava, pelo menos até antes do Alqueva… Localizada entre a ribeira da Amieira e o rio Degebe, a 15km de Portel, esta aldeia tem pouca história. Apesar de se evidenciar pela destacada praça de touros e o Monumento ao Forcado, a actividade tauromáquica não é muito comum. Só em Setembro, aquando das festas tradicionais da freguesia, é que se realizam touradas à boa maneira portuguesa.

A marina veio trazer outro dinamismo nunca antes visto nestas ruas e estradas nacionais mas nem era isso que me trazia a esta aldeia. O tempo tem sido generoso e a população também tem sabido adaptar-se à nova realidade. Nesse sentido, nasceu mais uma praia nesta região que despertou uma enorme curiosidade em mim.

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

Praia Fluvial da Amieira

Nos últimos anos, a marina foi o grande potenciador da Amieira mas a praia fluvial é desde 2019 o expoente máximo desta região. Este é um marco não só para a aldeia como para todo o município de Portel… Não há quem fique indiferente a este pequeno oásis em pleno Alentejo e são muitos os que lá vão propositadamente para desfrutar daquela praia, quer sejam habitantes das povoações à volta ou visitantes que passam pela barragem de Alqueva.

É por isso que a Amieira é um dos grandes exemplos para as várias aldeias ribeirinhas do Alqueva! O caos instalou-se junto de algumas populações que perderam rotinas ou o património afectivo que foram adquirindo ao longo de gerações. A Amieira em vez de se martirizar, pôs os olhos no futuro e tentou tirar partido do que tinha à sua disposição para se reerguer.

A verdade é que esta pequena aldeia alentejana possui uma marina e uma praia com um extenso areal, um parque de estacionamento para automóveis e caravanas e todos os serviços para a sua utilização onde se inclui um restaurante, balneários e vigilância de nadadores-salvadores. São poucas as aldeias portuguesas que se podem dar ao luxo de ter tantos benefícios como a Amieira.

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

Castelo de Portel

Entretanto, se a Amieira é uma esperança de futuro, Portel tem um passado enriquecedor que remonta à época dos Romanos. São pouco visíveis a existência de vestígios deste período porque actualmente é difícil pensarmos nesta vila e desfazermo-nos do castelo que toma conta da paisagem.

Numa vila que está envolvida por uma ampla área natural dominada pelo montado, destaca-se naturalmente o castelo no seu ponto mais alto. No castelo em estilo gótico, sobressai a torre de menagem que possui a entrada principal para o interior da muralha. Mesmo que não possua qualquer função desde o século XIX, encontra-se abandonado e em ruínas, sendo aproveitado esse facto para abrir portas aos mais curiosos que se interessam por história e queiram ter uma panorâmica de 360º da paisagem que abunda e de que maneira…

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Da muralha dá para ver a vila toda e escolher qual o próximo lugar para descobrir. No meio das suas casas brancas, destaca-se no seio da vila a Igreja Matriz que por trás tem o Parque da Matriz. Este jardim é o espaço público mais amplo de Portel onde a população passa o tempo para passear num local que outrora era ocupado pela Horta da Matriz.
Ao voltar para o castelo onde tinha o carro estacionado, passei no Museu da Freguesia ou na Capela de Santo António antes de chegar à Praça D. Nuno Álvares Pereira. Esta praça possui um monumento com esta personalidade portuguesa montada a cavalo em frente ao edificio ocupado pela Câmara Municipal de Portel, um dos mais vistosos desta pequena vila. Nuno Álvares Pereira foi o grande responsável por recuperar a vila de Portel para a coroa portuguesa e mais tarde D. João I concedeu-lhe estas terras… A estátua é a tarda mas devida homenagem a este herói nacional!
Nesta praça, também não é de descartar uma visita à Igreja da Misericódia. É uma obra do século XVII construída no mesmo local da Ermida a São Romão e marca a entrada para o castelo.
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal
Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

E assim terminava mais uma grande viagem por Portugal, a primeira que arrisquei a fazer sozinho… Apesar de ter a experiência de me aventurar para o estrangeiro por minha conta, nunca o tinha feito no meu país e foi igualmente gratificante!

Cinco anos depois da última visita, a presença da albufeira do Alqueva continua a definir as rotinas das povoações envolventes só que a diferença é a maior aceitação que se aparenta ter por parte das populações. O que se passa na Amieira e a forma como Portel se publicita para o mundo, é um caso de estudo para a região. Não só deixaram de estar presos ao passado como fizeram de tudo para se projectarem para o futuro e não é por acaso que este é um município que está melhor preparado para receber todo o tipo de visitantes.

Portel e Amieira, entre o passado e o futuro_Num Postal

GOSTASTE DESTE ARTIGO? PARTILHA NAS REDES SOCIAIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

PLANEIA A TUA VIAGEM

Aqui encontras as ferramentas necessárias para ti e ainda podes ajudar-me ao usar estes links 🙂

Para encontrares os melhores voos uso sempre o Skyscanner ou o Momondo.

Reserva já a tua estadia no Hostelworld mas se quiseres mais algum conforto podes ver outras opções no Booking.

Contrata o teu seguro de viagem. Ao optares pela IATI Seguros viajas mais descansado e ainda tens 5% de desconto se usares este link.

Queres viajar e não sabes para onde? Com a Chocolate Box podes arriscar ir num destino que só conheces 48 horas antes do dia da viagem e com o meu código NUMPOSTAL10 tens 10% de desconto!

Autor do projecto Num Postal, arquitecto de profissão, fotógrafo nas horas vagas e apaixonado por viagens. Criei o blog para que não me escape nada das minhas aventuras pelo mundo, para partilhar com os outros e para eu reviver cada uma destas experiências! Depois de viver uma temporada no Brasil, percebi que há todo um universo lá fora para descobrir e desde então nunca mais parei de ir à procura de lugares desconhecidos.

FAZ PARTE DESTE PROJECTO

Deixa um comentário e partilha as tuas dicas

POSTS RELACIONADOS

Estes são alguns dos artigos que também poderás gostar de ler