SÃO MIGUEL,
UM DIA A OCIDENTE

Como aguentar uma escala de 9 horas, os miradouros para as lagoas das Sete Cidades e uma das estradas mais bonitas que percorri

PUBLICADO A 25 DE JANEIRO DE 2021 | VIAGEM A 5 DE NOVEMBRO DE 2020

A viagem que fiz aos Açores, desenrolou-se principalmente no grupo central do arquipélago. No entanto, antes de chegar à Terceira onde ia reunir-me com o meu grupo de viagem, fiz uma escala muito produtiva na ilha de São Miguel.

Nunca renderam tanto estas 9 horas de escala durante uma viagem… Decidi alugar um carro no aeroporto de Ponta Delgada e fazer-me à estrada sem grandes preocupações. Sabendo que não ia ver a ilha toda em tão pouco tempo, encarei esta pequena passagem com muita tranquilidade… Assim sendo, depois de sair do aeroporto, segui até às Sete Cidades e arredores, onde andei de miradouro em miradouro a observar as paisagens incríveis deste lado da ilha.

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Miradouro da Vista do Rei

Todo o percurso no meio daquela natureza até às Sete Cidades é inacreditável! Parece que estamos noutro país que não o nosso… Tudo é verde à nossa volta e num estado de preservação impecável! É difícil encontrar igual em Portugal…

A primeira paragem foi o Miradouro da Vista do Rei, uma denominação em memória ao Rei D. Carlos I que em 1901 visitou aquele lugar. Esta é umas vistas mais conhecidas de São Miguel e a partir daqui temos uma primeira aproximação à vila das Sete Cidades. Com uma percepção panorâmica muito boa desta região, é só decidir em seguida qual o caminho a escolher para percorrer os trilhos ou os miradouros à volta das lagoas.

Ainda neste local, podemos deslumbrar-nos igualmente com o Hotel Monte Palace. Apesar de estar completamente abandonado e degradado, tem o um charme particular no meio daquele ambiente natural… Infelizmente não é possível visitar o interior do hotel mas dá que pensar o quão espectaculares devem ser as vistas das varandas daqueles quartos!

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Miradouro da Grota do Inferno

Ainda que o objectivo fosse chegar às Sete Cidades, voltei a dar mais uma volta ao redor das lagoas para ter outra perspectiva deste lugar. O tempo não era o melhor mas no Açores é mesmo assim… Num dia conseguimos encontrar as quatro estações do ano, às vezes até em 10 minutos como aconteceu comigo.

Entretanto, seguia-se o Miradouro da Grota do Inferno ao qual acedemos pelo Parque Florestal da Mata do Canário. O percurso para o miradouro é mítico! Entramos pela vegetação endémica até chegarmos a um ponto em que temos uma das panorâmicas mais bonitas desta ilha. A 730 metros de altitude, conseguimos observar a Lagoa Azul, Lagoa Verde, Lagoa Rasa e Lagoa de Santiago, além da vila das Sete Cidades. Com o tempo a mudar constantemente, foi muito bom ter conseguido admirar a paisagem sempre com cores diferentes.

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Lagoa do Canário

Ao abandonar o parque, passei pela Lagoa do Canário. Logo depois de atravessar o bosque escuro, cheguei a este lugar tranquilo onde não estava quase ninguém. O espaço em volta é todo igual com o mesmo tipo de vegetação a cobrir o plano de fundo da lagoa. É incrível o silêncio que ali se faz ouvir e cada vez mais tinha a certeza que esta viagem tinha sido uma decisão muito acertada!

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Sete Cidades

Melhor do que ter chegado a esta vila, é todo o percurso que fazemos até lá. Acho que posso dizer que foi uma das estradas mais bonitas que percorri e muitas foram as paragens que fiz para tirar fotografias do que estava a ver à minha frente. Toda aquela envolvência da natureza é imperdível!

Pelo caminho, também parei em mais dois miradouros antes de chegar à vila. Em primeiro lugar, o Miradouro do Cerrado das Freiras que tem uma das melhores vistas da Lagoa da Sete Cidades. O mesmo seria falar da Lagoa Azul e Lagoa Verde que formam este grande lago dividido por uma ponte… Existem várias histórias de que os nomes das lagoas reflectem os olhos de uma princesa e um pastor (por consequência de uma antiga lenda que envolvia uma história de amor entre os dois), outras que dizem que a Lagoa Verde tem esse nome porque tem mais vegetação à sua volta que a Lagoa Azul… De certeza que mais histórias existem sobre isto… Adiante, temos o Miradouro da Lagoa de Santiago de onde temos uma perspectiva mais cerrada da lagoa com o mesmo nome.

Estava tudo alinhado para finalmente chegar à vila das Sete Cidades. Esta pequena povoação localizada às margens da Lagoa Azul, é bastante simples, com casas tradicionais e tem como destaque a Igreja de São Nicolau no seu largo central.

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Ponta da Ferraria

Depois de tantas voltas na lagoa das Sete Cidades, fiz um desvio até à Ponta da Ferraria. Já tinha ouvido falar deste local mas só quando cheguei lá é que me apercebi do que me esperava.

Localizada no extremo Oeste de São Miguel, esta parte da ilha tem fortes influências dos fenómenos vulcânicos que ocorreram noutros tempos. É por isso que ali encontramos as Termas de Ferraria num ponto junto ao mar e as piscinas naturais da Ponta da Ferraria. A descida até às termas é tão íngreme que preferi ficar num miradouro que inclui uma vista panorâmica quer para as próprias piscinas e a paisagem lávica como para o Farol da Ferraria.

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Miradouro do Pico do Carvão

Faltava pouco tempo para regressar ao aeroporto. Em vez de continuar o caminho junto ao mar, decidi voltar às Sete Cidade e fazer o caminho pelo interior até Ponta Delgada. Durante este percurso encontrei o Miradouro do Pico do Carvão. Neste ponto encontramos uma paisagem tipicamente açoriana com uma extensão muito vasta de campos verdes e cones vulcânicos que se estendem desde Capelas até à Ribeira Grande, no litoral Norte da ilha.

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Ponta Delgada

A capital de São Miguel e uma das cidades mais importantes dos Açores. A minha passagem limitou-se a um pequeno passeio pelo centro histórico e depois fiquei a fazer tempo junto à baía da cidade. Uma cidade algo agitada que nem parece que estamos nos Açores. Também tive algum azar porque apanhei a “hora de ponta”… De resto, apenas me deslumbrei com as Portas da Cidade, um dos cartões de postal de Ponta Delgada. A visita foi tão rápida que não deu para muito mais…

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal
São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

Certamente que a ilha de São Miguel não foi feita para se ver num dia e nem era isso que queria… Ao abandonar a capital de volta ao aeroporto, tinha a certeza que iria voltar! É impossível ficar indiferente à beleza natural, tanto desta ilha como dos outros lugares dos Açores. Existem muitos trilhos, lagoas, cones vulcânicos e muito mais para descobrir mas era altura de partir a outro destino. A Terceira chamava por mim e de São Miguel ficava um grande desejo de regressar!

São Miguel, um dia a Ocidente_Num Postal

GOSTASTE DESTE ARTIGO? PARTILHA NAS REDES SOCIAIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

PLANEIA A TUA VIAGEM

Aqui encontras as ferramentas necessárias para ti e ainda podes ajudar-me ao usar estes links 🙂

Para encontrares os melhores voos uso sempre o Skyscanner ou o Momondo.

Reserva já a tua estadia no Hostelworld mas se quiseres mais algum conforto podes ver outras opções no Booking.

Contrata o teu seguro de viagem. Ao optares pela IATI Seguros viajas mais descansado e ainda tens 5% de desconto se usares este link.

Queres viajar e não sabes para onde? Com a Chocolate Box podes arriscar ir num destino que só conheces 48 horas antes do dia da viagem e com o meu código NUMPOSTAL10 tens 10% de desconto!

Autor do projecto Num Postal, arquitecto de profissão, fotógrafo nas horas vagas e apaixonado por viagens. Criei o blog para que não me escape nada das minhas aventuras pelo mundo, para partilhar com os outros e para eu reviver cada uma destas experiências! Depois de viver uma temporada no Brasil, percebi que há todo um universo lá fora para descobrir e desde então nunca mais parei de ir à procura de lugares desconhecidos.

FAZ PARTE DESTE PROJECTO

Deixa um comentário e partilha as tuas dicas

POSTS RELACIONADOS

Estes são alguns dos artigos que também poderás gostar de ler